jusbrasil.com.br
22 de Setembro de 2018

Testemunha Mentiu na Audiência: O que fazer?

Alessandra Strazzi, Advogado
Publicado por Alessandra Strazzi
há 8 dias

Quando a testemunha iniciar o depoimento e você ver que ela está começando a mentir, a recomendação do Dr. José de Andrade é que você interrompa e peça a palavra ao magistrado. Ele sugere que você o faça com um tom de voz firme:

"Excelência, eu gostaria que vossa excelência advertisse a testemunha que se ela não falar a verdade, pode ser presa e processada por falso testemunho."

A maioria das pessoas se sentem inibidas e logo um sinal de alerta é ligado: "será que alguém está percebendo que eu estou querendo alterar a verdade dos fatos?"

Normalmente a testemunha desiste da mentira e fala que não sabe, que desconhece e simplesmente deixa de lado aquele desejo inicial de mentir.

Essa é uma dica muito efetiva que o Dr. José vê muitos advogados aplicarem e geralmente dá muito certo.

É bom lembrar que agora na justiça do trabalho você pode pedir para que o juiz alerte a testemunha que ela pode ser penalizado financeiramente, recebendo uma multa caso venha a mentir.

E se ao invés da Testemunha, o seu Cliente Mentir na Audiência. O que fazer?

O seu cliente mentiu para você e essa mentira foi descoberta no depoimento pessoal dele durante a Audiência. Infelizmente nós temos que enfrentar situações como essa mais vezes do que gostaríamos.

Imagine o seguinte cenário: o advogado coloca na petição inicial que no momento do acidente o seu cliente estava com o carro a 40 km/h e na hora que o juiz está ouvindo o cliente em depoimento pessoal, ele fala que estava a 80 km/h.

Você sabe o que fazer nessa situação?

A recomendação do Dr. José de Andrade, juiz de Direito há mais de 16 anos é que na hora em que seja detectada essa mentira (essa contradição com a inicial), que você peça palavra e alerte ao magistrado que você colocou na petição inicial exatamente aquilo que o seu cliente disse a você.

Isso ajudará bastante para que você não perca a credibilidade perante o juiz e para que ele continue confiando em você.

E uma última recomendação nesse caso é que você SEMPRE peça a assinatura do seu cliente na petição inicial, escaneie e depois protocole eletronicamente.

É muito importante que seu cliente sempre assine com você.

Essa dica foi retirada do canal do youtube Audiências Online do juiz de Direito há mais de 16 anos Dr. José de Andrade.

O Dr. José está realizando o seu 4º Workshop GRATUITO Expert em Audiências e hoje ele disponibilizou a 3º aula do Workshop, nela ele vai falar sobre:

>>> Como descobrir e mostrar ao juiz quando uma testemunha está mentindo

Ainda não se cadastrou? Corra que ainda dá tempo!

11 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

boa dica, porem, com o devido respeito, eu discordo, pois na prática o Magistrado que preside audiência não permite a interrupção do testemunho, somente na hora em que for lhe dada a palavra, poderá reiterar para que o Juízo advirta a testemunha. Digo "reiterar", pois no inicio da audiência o Juíz já advertiu a testemunha da penalidade do falso testemunho. Na minha opinião, o melhor a fazer, e na hora que lhe for dada a palavra, faça as perguntas à testemunha, para que as respostas façam o magistrado perceber que o depoimento esta sendo "ensaiado", para confundir os fatos. continuar lendo

Mil perdões, dr Jorge Luiz do Nascimento, então o meu caso, já relatado por aqui, em outra ocasião, foi uma "raridade". Fiz EXATAMENTE o que "recomenda" o texto, só que, aos cochichos, fui "municiando" minha advogada sentada ao meu lado, resultado? O "mentiroso" ao ser interpelado pela juíza, começou a gaguejar, sendo expulso da sala de audiências. Audiência no fórum de Itu-sp. continuar lendo

e quando o cliente percebe que o advogado , se perde nos fatos ? Costumeiramente deparamos com isto tendo em vista uma boa parte deles pegarem o processo um dia antes da audiência, para recordar alguns fatos . Ou em uma alegação, o advogado coloca algo que o cliente não disse, cujo cliente não foi consultado; fruto na imaginação ou mesmo embarq continuar lendo

Muito Bom! continuar lendo

Acrescento que arguir a suspeição da testemunha por amizade íntima costuma gerar o mesmo efeito, qual seja, intimidar a testemunha já propensa a mentir, ainda que a contradita venha a ser indeferida. Só aquele debate todo, e a expectativa criada na testemunha lhe coloca numa situação de agir honestamente, mesmo porque isto está em questão naquele momento. Já fiz isso várias vezes e funciona!
Não acho uma boa idéia dizer ao juiz que colocou na inicial aquilo que cliente disse, no que se refere a estar a 80 ou 40km por hora, pois, isto já está implícito de toda exordial, poiso advogado não cria fatos, e apenas reproduz. Pelo menos acredito nesta máxima de ética. Além disso, é normal haver controvérsias em questões de fato. Então acredito que se estava a 80 ou 40km/h é questão controvertida que deve ser dirimida pelo juiz. Seu cliente não poderá reclamar de nada, já que ele mesmo admitiu estar a 80km..
Só fiz algumas observações em prol da construção, e não com intuito de causar desconforto.
Gostei da dica. Parabéns pela iniciativa em compartilhar o conhecimento. Recomendo! continuar lendo