jusbrasil.com.br
24 de Abril de 2018

7 Passos para você superar o medo em uma audiência de instrução

Aplicando esses 7 simples passos, você jamais passará qualquer dificuldade em uma audiência de instrução. Ao contrário, irá demonstrar aos presentes no ato que você é um profissional preparado e experiente, ainda que esteja no começo da sua carreira.

Alessandra Strazzi, Advogado
Publicado por Alessandra Strazzi
há 12 dias

Imagine que você acabou de ser intimado ou contratado para participar de uma audiência Judicial de Instrução... O que fazer?

1º Passo: estude o procedimento da audiência

O estudo do procedimento te ajudará a descobrir várias coisas, dentre elas:

  • quem deve comparecer ao ato;
  • qual é o prazo para arrolar testemunhas;
  • se já foi providenciada a intimação das testemunhas; ou
  • se você deve fazer a intimação.

Após identificar todas as necessidades, você deverá tomar todas as providências pendentes.

2º Passo: estude o processo e identifique os pontos controvertidos da lide

É imprescindível que antes de qualquer audiência de instrução você estude profundamente o processo. Essa audiência é chave, digamos que o coração do processo.

Você deve identificar quais são os pontos controvertidos da lide, pois é sobre eles que será produzida a prova oral.

3º Passo: converse com as suas testemunhas para saber o que cada uma sabe sobre os fatos

Você deve conversar com as testemunhas para saber exatamente o que elas sabem sobre os fatos e, assim, identificar o seu depoimento é relevante ou não. Porém, jamais "instrua" a testemunha sobre o que ela deve ou não dizer.

O seu papel, ao contrário, é instruí-la para que não minta e não invente nada, pois a testemunha mentirosa quase sempre é descoberta pelo juiz

4º Passo: estude o rol de testemunhas da parte contrária e colha provas da contradita, se for o caso

Você sempre deve estudar o rol da testemunha da parte contrária para descobrir se as testemunhas arroladas não possuem algum vínculo de parentesco ou de amizade íntima com a parte que a arrolou.

E você pode utilizar as redes sociais para descobrir essas questões. Se você encontrar, por exemplo, as provas no Facebook que demonstrem que a parte e a testemunha são amigas íntimas, junte tais provas no processo e apresente a contradita da testemunha quando ela estiver sendo qualificada para ser ouvida em audiência.

5º Passo: estude com o cliente uma proposta de acordo

Mesmo nas audiências de instrução, o juiz irá tentar o acordo. Então, converse com cliente a respeito disso e, se possível, leve uma proposta de acordo. Todo juiz gosta de ver a predisposição da parte em resolver amigavelmente a questão.

6º Passo: esteja preparado para fazer as alegações finais orais

Anote, antes da audiência, os pontos importantes e que você não pode esquecer de falar nas alegações finais.

Quando lhe for concedida a palavra, explore a prova que acabou de ser produzida.

Não gaste seu tempo falando de questões judiciais ou simplesmente repetindo o que você já disse na inicial ou na contestação. Mostre ao juiz como as testemunhas ouvidas confirmam tudo aquilo que você disse em sua peça. É para isso que servem as alegações finais.

7º Passo: trate todos com o mais absoluto respeito, mesmo que não receba o mesmo tratamento

A nossa imagem profissional é formada pelas nossas atitudes. Se somos mal educados ou se tratamos os outros sem o devido respeito, deixamos uma imagem negativa por onde passamos e, acreditem, essa imagem negativa tem o poder de influenciar no sucesso ou fracasso da nossa carreira.

O Juiz de Direito, Dr. José de Andrade, está realizando o seu WORKSHOP Expert em Audiências, 100% ONLINE e GRATUITO. Neste workshop, ele vai te ensinar como superar o medo, a insegurança e a falta de experiência na realização de audiências e ter pleno êxito em sua advocacia.

Clique Aqui e garanta a sua vaga no Workshop GRATUITO que vai até o dia 16/04.

Todas estas importantes dicas foram tiradas do e-book do Juiz de Direito há mais de 15 anos, Dr. José de Andrade.

6 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Excelente artigo. O que me deixa um pouco chateada é que muitos advogados sequer olham a legislação. É essencial, pois o tramite de uma audiencia está estampado no Código. Outro ponto é a insegurança frente ao juiz. Quando comecei, tinha receio de me posicionar em alguns momentos, foi aí que resolvi ler o Código de Ética e o Estatuto. Juizes, promotores e advogados nao exercem posição hierarquica, TODOS SÃO IGUAIS. Portanto, mais preparação e menos amadorismo. O cliente merece uma boa representação e é dever do advogado o fazer. continuar lendo

Super importante, imagina vacilar na primeira audiência e pautar toda uma carreira pela frente por conta de um único deslize?

Deus me livre! continuar lendo

Mesmo que a primeira audiência não saia do melhor jeito (e é até normal), seria impensável pautar toda a carreira por conta de um "único deslize".

Eu mesmo já cometi algumas gafes em audiência (exemplo: fazer uma pergunta ou invenção em momento inadequado, ter uma pergunta indeferida), mas isto são coisas que somente a prática ensina. Não somos infalíveis e mesmo com as brilhantes dicas da Dra. Strazzi, podemos nos deparar com situações novas e únicas em mesa de audiência.

Um fato novo, um documento, uma contradição. O advogado não pode prever tudo e tem que estar pronto para improvisar.

Assim como a perfeição é uma utopia, apegar-se a falha é um erro. Evoluir sempre, retroceder jamais.

Um abraço! :D continuar lendo

Muito bem-vindas as Suas dicas! Após um período fora dos tribunais, voltei com algumas questões e a sua explanação foi reconfortante. continuar lendo

Excelente artigo......estou começando na prática jurídica, e esse material vai me ajudar bastante......obrigado.... continuar lendo